Saúde & Bem-Estar

Pura Chlorella Yaeyama (Okinawa) – Perguntas Frequentes

Chlorella Yaeyama em pó

O método de cultivo de Yaeyama Chlorella é patenteado (Patente N.º 3.277.372). Está provado que a clorofila contém uma forte função antioxidante e oxigénio ativo, contando com a presença de carotenoides, tais como, β-caroteno, α-caroteno e luteína, que ajudam o nosso organismo a excretar dioxina.

Chlorella Yaeyama em comprimidos

A Chlorella é conhecida como sendo um alimento de alta densidade nutricional. Como tal, contém muitos nutrientes, tais como, vitaminas, minerais e proteínas. Particularmente, tem o mérito de conter muitos dos pigmentos naturais, como a clorofila e carotenoides.

A Yaeyama Chlorella é um produto seguro, cultivado na Ilha de Ishigaki.

PROCESSO DE PRODUÇÃO

Estirpe de Semente

A estirpe da semente da Yaeyama Chlorella é apanhada na Ilha de Ishigaki e repetidamente separada e cultivada, de modo a obter-se uma estirpe pura. A estirpe da Yaeyama Chlorella é de alta qualidade, selecionada cuidadosamente sob rigorosas inspeções.

Cultivo da Semente

A estirpe de Yaeyama Chlorella é cultivada em equipamentos de fermentação das sementes, que foram completamente esterilizados. É uma semente para ser cultivada no exterior.

Cultivo ao Ar Livre

A Yaeyama Chlorella é produzida através da fotossíntese, ao utilizar o sol e as excelentes águas no clima favorável da Ilha de Ishigaki no sistema de cultivo ao ar livre. Contém proteínas equilibradas, vitaminas e minerais e é rica em CGF (Chlorella Growth Factor) e clorofila.

Colheita

A Chlorella é separada da solução cultivada ao ser centrifugada continuadamente por dez vezes. Através de lavagens repetidas utilizando água limpa, obtém-se uma Chlorella limpa e livre de qualquer outro micro-organismo. Para além disso, são utilizados máquinas e equipamentos de aço inoxidável, como por exemplo nos tubos, e são realizadas minuciosas inspeções sanitárias. É assim que é produzida a Yaeyama Chlorella de alta qualidade, cultivada ao ar livre.

Secagem

A higiene é muito importante e, como tal, foi construído uma camara de secagem por atomização única em todo o mundo. Com uma tecnologia de branqueamento própria, produz-se a colorida e altamente digestiva Yaeyama Chlorella em pó. É dada especial atenção ao último passo da produção da Chlorella em pó e tido em consideração a qualidade, segurança e estabilidade dos produtos produzidos. Cada lote é embalado e desgaseificado através de um dispositivo de embalagem e desgaseificação desenvolvido na própria fábrica, a fim de prevenir alterações na qualidade do produto. Deste modo previne-se qualquer alteração na cor, cheiro e sabor. Como pode verificar, a qualidade é muito importante para nós.

Controlo de Qualidade

Cada lote de produção de Yaeyama Chlorella em pó é submetido a rigorosos controlos de qualidade. Só são comercializados os lotes que passaram nos rigorosos critérios de avaliação de Higiene Alimentar e das especificações da Japanese Health and Nutrition Food Association.

Produção da Yaeyama Chlorella em Pó

O pó da Chlorella é um pó fino que pode ser adicionado a muitos outros alimentos e tem sido utilizado para reforçar corantes e ingredientes nutricionais. O método da pulverização fina pode minimizar as alterações causadas pelo calor e, assim, torna-se possível produzir o pó de Yaeyama Chlorella sem interferir nos seus constituintes originais. O pó da Yaeyama Chlorella tem uma cor inigualável, o que o torna bastante popular.

O que é a Chlorella?

A Chlorella é uma alga verde unicelular de água doce e desde há muito tempo que chamou a atenção por ser considerada um alimento saudável. A Chlorella existe desde o início da Terra e foi a primeira forma de vida com núcleo. A Chlorella foi descoberta por volta da altura em que foi inventado o primeiro microscópio. O cientista holandês, Beijerinck, descobriu a Chlorella há cerca de 120 anos. O nome Chlorella provém do grego chloros, que significa “verde”, e do sufixo diminutivo latino ella, que significa “pequeno”.

Há alguma ligação entre a água verde num aquário e a Chlorella?

Provavelmente já reparou que quando coloca um aquário ao sol, a sua água rapidamente se torna verde. Isso é provocado pelos agentes da Chlorella, que se produz em água doce, como poças, lagos e charcos. É considerada como o primeiro organismo na Terra e é uma planta que mantem a sua forma original há mais de dois biliões de anos.

A Chlorella é uma planta pequena (planta unicelular)

A Chlorella não é visível a olho nu; é esférica e tem cerca de 3 a 8 mícrons de diâmetro (1 mícron = 1/1000 milímetros). Estes organismos são pequenas plantas com metade do tamanho de uma célula vermelha humana e produzem-se em grande número, dando origem às algas, tão importantes para as nossas vidas.

A Chlorella é unicelular (organismo unicelular)

Ao contrário de muitos organismos, que são constituídos por muitas células, a Chlorella é uma forma de vida unicelular e independente. Apesar da Chlorella ser invisível a olho nu, contém todos os órgãos e funções necessários para ser um organismo completo. É uma planta unicelular fantástica e mais poderosa do que as plantas mais comuns.

Uma planta energética que se reproduz quatro vezes por dia

Vários organismos reproduzem-se de uma maneira sexuada ou assexuada. A Chlorella reproduz-se assexuadamente de uma maneira fantástica.  Com apenas cerca de 3 mícrons de diâmetro, reproduz-se através da fotossíntese ao usar energia solar e dióxido de carbono da água doce. Antes de chegar aos 8 a 10 mícrons, dão-se duas divisões nucleares e, a partir daí, as células dividem-se até quatro vezes. A Chlorella é um organismo que existe e se reproduz há mais de dois biliões de anos.

Uma grande quantidade de Chlorella ocupa a Terra

A reprodução vigorosa da Chlorella leva à reprodução de quatro células a cada 24 horas. A primeira multiplica-se em quatro células amanhã e depois em dezasseis no dia seguinte, e assim sucessivamente. Após um mês, haverá uma enorme família proveniente de apenas quatro células, ou seja, 100 kei (1 kei (no Japão) = 10,000 vezes um trilião). 100 kei de células pesam 20 toneladas. Se a Chlorella se continua a multiplicar desta maneira, calcula-se que o seu volume será maior do que o da Terra num prazo de 63 dias.

Requisitos para a produção de Chlorella

Um cenário como o descrito anteriormente é meramente imaginário, pois a Chlorella necessita de requisitos específicos para se reproduzir. Para gerir a divisão, crescimento e multiplicação, a Chlorella precisa de absorver energia solar suficiente em cloroplastos, absorver uma pequena quantidade de sais inorgânicos, como os nutrientes, absorver dióxido de carbono e fazer a fotossíntese em água doce limpa. À medida que as células se multiplicam, elas bloqueiam a luz entre si. Sem luz solar, a Chlorella para de crescer e, eventualmente, morre. Mesmo se for cultivada em condições favoráveis, um rendimento mensal será de cerca de 20 gramas por metro quadrado (peso seco).

Tal multiplicação tremenda, em que uma célula cresce a dar origem a uma família enorme do tamanho da Terra, em 63 dias, não é realista. A Chlorella recupera a sua capacidade de reprodução vigorosa quando tem disponível um fornecimento uniforme e suficiente de energia solar e dióxido de carbono. É uma planta importante e bastante útil que pode ser uma fonte de alimento no futuro, se cultivada corretamente.

A Chlorella é uma campeã da fotossíntese

A energia solar é igualmente importante para a vida dos animais e das plantas, que vivem através da fotossíntese. O rendimento diário, de 20 gramas por metro quadrado, indica que Chlorella produz muito mais matéria orgânica do que as plantas comuns. Se assumirmos que um grama de Chlorella tem 5,6 kcal, as suas calorias anuais serão de 40,880 kcal por metro quadrado. Em comparação com isto, os grãos geram apenas 800 kcal por metro quadrado. Isto mostra que a fotossíntese da Chlorella fornece 50 vezes mais alimento.

Uma lagoa com cerca de 4000m2 é uma fonte de proteína para duzentos milhões de pessoas

Nos dias de hoje, a fome é um problema mundial e cientistas, por todo o mundo, estão-se a focar no poder nutritivo da Chlorella. Investigações nesta área estão bastante ativas, principalmente nos Estados Unidos. Alguns cientistas relataram que cultivar Chlorella em condições favoráveis numa lagoa com cerca de 4000m2 preencheria a necessidade de proteína para toda a população dos EUA (cerca de duzentos milhões de pessoas). Por isso se diz que a Chlorella é o alimento do século XXI.

As diferentes espécies de Chlorella

A Chlorella é uma planta natural que contém mais de 20 espécies, cada uma tendo o seu próprio método de produção. As espécies mais conhecidas da Chlorella são: C. vulgaris, C. ellipsoidea, C. saccharophila, C. pyrenoidosa e C. regularis. Estas são as espécies utilizadas como alimento.
Dentro de cada espécie há várias estirpes. As estirpes são como variedades ou marcas. A composição dos constituintes e os seus efeitos enquanto alimento saudável depende de que espécie se trata.
A diferença entre as espécies de Chlorella é considerada insignificante assim que é transformada em comprimidos e alimentos saudáveis, no entanto, as suas características permanecem. Apesar de muitos produtos serem designados como Chlorella, os seus efeitos tão característicos não são obtidos através de todas as variedades.

A maioria da Chlorella produzida e cultivada no Japão é a C. vulgaris, e em Taiwan a C. pyrenoidosa.

Digestão e absorção da Chlorella 

A nossa Yaeyama Chlorella é facilmente digerida e absorvida devido à preparação da quebra das paredes celulares. Os comprimidos de Chlorella costumavam ter uma taxa de absorção de apenas 50% a 60%, mas recentemente esta taxa subiu para os 82% devido à tecnologia de secagem sem calor. Provavelmente não tem noção a que é que uma absorção de 82% corresponde. Por exemplo, a taxa de absorção para o pão ou arroz cozinhado é de 80% a 85%. Estes números mostram que a Chlorella tem uma taxa de absorção equiparável à dos alimentos comuns.

A C. vulgaris contém CGF (Chlorella Growth Factor), uma substância fisiológica ativa exclusiva da Chlorella, que foi utilizada como medicamento no tratamento da radioatividade no desastre nuclear na antiga União Soviética.

História da Chlorella

A Chlorella existe desde o início da Terra e tem-se vindo a reproduzir desde há três biliões de anos. Contudo, uma vez que mede apenas entre 3 a 8 μm, só foi descoberta quando o microscópio foi inventado, depois do século XIX. Foi descoberta pelo microbiologista holandês, Dr. Beijerinck, em 1890, e designada por Chlorella.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a Chlorella foi cultivada em grandes quantidades, na Alemanha, para ser utilizada como fonte de proteína. Na década de 20, o Japão conseguiu cultivar Chlorella pura e, após a Segunda Guerra Mundial, juntamente com os Estados Unidos e a Alemanha, levaram a cabo vários estudos em conjunto.

Os efeitos medicinais da Chlorella já estavam comprovados após a Segunda Guerra Mundial, e foi revelada a presença de um fator de crescimento que acelera o crescimento animal através da sua ingestão. A NASA fez estudos sobre a Chlorella enquanto alimento espacial, uma vez que fornece nutrientes mesmo em pequenas quantidades.

Na década de 70, a Chlorella era bastante popular no Japão, mas tal popularidade acabou quando se verificaram incidentes de fotossensibilidade causados pela Chlorella.

Tais incidentes referiam-se ao aparecimento de bolhas aquando da exposição direta à luz solar após a ingestão de Chlorella. Como a Chlorella tem uma parede celular dura, não digerida pelos ácidos gástricos, a clorofila permanecia intacta no corpo. Há o risco de aparecimento de bolhas, aquando da exposição à luz solar, devido à clorofila que permanece no corpo.

As bolhas não aparecem em todas as pessoas que tomam Chlorella e tal aparecimento está relacionado com a constituição física de cada pessoa. Contudo, tanto os sintomas desenvolvidos após a ingestão de Chlorella, como o seu boom, desvaneceram após algum tempo. Mais tarde, a tecnologia de pulverização das paredes celulares foi desenvolvida e foi descoberto o efeito anticancerígeno da Chlorella.  Como tal, a Chlorella está a atrair a atenção das pessoas novamente.

Ciência Nutricional da Chlorella

A Chlorella não contém qualquer tipo de pesticidas
A Chlorella natural tem de ser cultivada como comestível de modo a ser incorporada nas nossas dietas. A Chlorella é lavada, cultivada com bastante energia solar e produzida num processo contínuo que se inicia com a estirpe da semente a ser submetida a um rigoroso controlo. Quando a Chlorella é lavada e cultivada, sem perder as suas proteínas ricas e naturais e os seus vários constituintes, apresenta uma tonalidade verde escura e brilhante parecida à matcha ou ao aonori. A Chlorella produzida desta forma pode ser considerada um vegetal altamente nutritivo, sem pesticidas e com uma quantidade abundante de CGF.

A razão pela qual os nossos músculos não se transformam em carne de vaca quando ingerimos tal tipo de carne

A Chlorella contém 50%, ou mais, de proteínas. Tanto as proteínas animais com as vegetais decompõem-se em cerca de 20 tipos de aminoácidos. Quando ingeridas, as proteínas são primeiramente decompostas em aminoácidos através das enzimas gástricas. Depois, as proteínas dos nossos músculos são sintetizadas utilizando os aminoácidos absorvidos pelas paredes intestinais. Assim, os nossos músculos nunca se tornam em carne de vaca quando ingerimos tal tipo de carne. Da mesma maneira, quando as pessoas ingerem Chlorella ou soja, não se transformam em pessoas plantas.

Oito pilares dos aminoácidos essenciais

As proteínas são constituídas por vinte tipos de aminoácidos que são produzidos pelo nosso organismo, à exceção de oito. Esses oito tipos de aminoácidos, que não podem ser produzidos no nosso organismo de qualquer maneira, são os mais importantes na ciência nutricional. São designados como aminoácidos essenciais e têm de ser ingeridos oralmente enquanto alimentos. Basta que um destes aminoácidos fique aquém dos valores normais, para que os restantes não funcionem na sua totalidade. O aminoácido em défice é também designado como aminoácido limitante. Vamos analisar as proteínas de trigo neste contexto: as proteínas de trigo contêm menos de metade da quantidade necessária de lisina, um aminoácido essencial indispensável para a estimulação do crescimento. O aminoácido limitante do trigo é a lisina. Por sua vez, a proteína da Chlorella contém uma elevada quantidade de lisina.

O problema da L-lisina

A pouca quantidade de lisina na farinha de trigo, enquanto um dos ingredientes do pão, diminui a atividade das proteínas em geral. Devido a isto, é adicionada uma substância química, a L-lisina. Foram reportados alguns efeitos secundários da L-lisina, tais como sendo um carcinógeno, e tal deu origem a um problema social. A Chlorella contém 1,5 vez mais lisina natural do que o trigo e, por isso, ao adicionar 5% de Chlorella ao trigo irá completar os aminoácidos essenciais e irá melhorar o seu valor nutricional.

A Chlorella é um Super-Homem a ajudar as outras proteínas

As proteínas presentes na Chlorella não funcionam apenas como proteínas. Elas têm a importante função de angariar o quociente de assimilação ao “acordar” as proteínas presentes noutros alimentos e ajudar os outros nutrientes no nosso organismo. Se uma pessoa ingerir 60g de proteína por dia, a ingestão de 2g de Chlorella, por dia, permite que as suas proteínas cooperem com as outras, fornecendo-nos assim a quantidade de proteínas de que necessitamos. Tomar Chlorella diariamente como suplemento é o ideal para que as fontes nutricionais tão importantes que ingerimos não sejam desperdiçadas.

O que é o CGF único da Chlorella?

As proteínas da Chlorella contêm uma substância especial designada de CGF, que é um fator promotor de crescimento com atividades fisiológicas ativas. O CGF é um tipo de complexo peptídeo-nucleoide que contém enxofre e a sua estrutura molecular, assim como outros pormenores, estão a ser atualmente estudados por vários cientistas. O CGF não é encontrado em mais nenhuma outra planta e os seus efeitos chamaram a atenção por ser uma substância especial apenas encontrada na Chlorella.

Os benefícios da Chlorella para além de ser uma fonte de proteínas

O extrato da Chlorella basicamente não tem cheiro nem sabor. Quando é adicionada em pequenas quantidades a outras comidas, nota-se um efeito de suavização na acidez, adstringência e amargura, e um efeito de suavização sobre a estimulação do sabor do álcool.  Estes são os efeitos moderadores da Chlorella. Outras utilizações da Chlorella incluem uma ação promotora de crescimento em bactérias de ácido láctico, leveduras e Bacillus natto, e é amplamente aplicada na produção de bebidas lácteas fermentadas e natto a uma escala industrial.

Outros constituintes da Chlorella

Lípidos
A composição de ácidos gordos da Chlorella é o mais elevado com 29% de ácido linolénico e cerca de 14% tanto de ácido palmítico como de ácido linoleico. Tanto o ácido linoleico como o ácido linolénico são ácidos gordos essenciais na ciência nutricional e são designados como vitamina F.

Hidratos de Carbono
Os hidratos de carbono presentes na Chlorella incluem tanto as hemiceluloses A e B como polissacarídeos solúveis em soluções alcalinas e amido. Alguns dos polissacarídeos têm funções inibidoras de cancro, que são temas interessantes para futuros estudos. 

A Chlorella é um alimento alcalino fantástico

Cinza
A Chlorella é um alimento alcalino rico em metais, tais como o potássio e o magnésio e importante para manter o sangue alcalino. Um organismo alcalino é o primeiro passo para ter saúde.

Vitaminas
A Chlorella é rica em vitaminas. É de notar que a percentagem de vitamina B12 (vitamina que combate a anemia) presente num grama de Chlorella é equivalente à dose diária recomendada nos humanos. Para além disso, a Chlorella ajuda a sintetizar a vitamina B12 através das bactérias intestinais presentes no nosso trato intestinal.

Componente principal da Chlorella

A Chlorella tem a vantagem de ter um crescimento fenomenal das suas células, ter a capacidade de fotossíntese e de metade dos seus constituintes serem compostos por proteínas ricas.

Dependendo da espécie de Chlorella, contém vários aminoácidos necessários ao nosso organismo, entre eles: vitaminas e minerais, ácido pantoténico, ácido fólico, ácidos nucleicos, 20% de hidratos de carbono, 5% de clorofila, etc.

A Chlorella é uma alga muito pequena e verde de água doce, rica em vitaminas e minerais, utilizada como fonte nutritiva em tempos de guerra.

Como a Chlorella é uma espécie de planta, é rica em clorofila e ácido fólico, entre outros. A clorofila absorve a energia solar e durante a fotossíntese tem um efeito purificante no corpo e na beleza.

A clorofila presente na Chlorella tem várias vezes as funções das plantas comuns.

Comparações Nutricionais da Chlorella

Comparação Nutricional entre a Yaeyama Chlorella originária da Ilha de Ishigaki e Vegetais Verdes e Amarelos (por 100g)

A Beleza e a Chlorella

Os vegetais são apelidados de alimentos para a beleza. A Chlorella pode ser considerada uma bebida cosmética por ser alcalina e ter um efeito rejuvenescedor das células. Os adultos têm uma pele ácida. Ao ingerirmos comidas animais em excesso (alimentos ácidos) acumulamos resíduos nas membranas mucosas da pele, dando origem à pele seca e enrugada. Os bebés e as crianças têm uma pele bonita e fresca porque os seus corpos são alcalinos. De modo a termos uma pele bonita, devemos começar pelo nosso interior.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *